Arxiu d'etiquetes: União Europeia (UE)

Catalunha x Europa: Quem tem medo de quem?

Carlos Loures, do blog A Viagem dos argonautas, tem nos brindado este ano com, pelo menos, dois instigantes editoriais em que tem criticado o fato de políticos europeus exibirem pobreza argumental para se opor à celebração de um referendo na Catalunha para decidir seu futuro político.

No editorial mais recente, Loures debruçou-se sobre a formação histórica dos estados alemão e espanhol para interpretar que o posicionamento da chanceler alemã, Angela Merkel, “revela uma total ignorância ou um significativo desprezo sobre as realidades históricas” próprias e alheias.

No editorial anterior, de cinco meses atrás, Loures criticou o belga Van Rompuy, na época presidente do Conselho Europeu, por ameaçar a Catalunha de ser expulsa da União Europeia, caso decida pela independência, arrogando-se, assim, o papel de juiz supremo, capaz de proibir ou autorizar independências. Um poder, que não está, de fato, nas mãos de ninguém…

 

EDITORIAL – QUEM TEM MEDO DA CATALUNHA?

30 de agosto de 2014

A chanceler alemã, Angela Merkel, numa mesa redonda realizada em Berlim, respondendo a uma pergunta de um jornalista espanhol, exprimiu o seu apoio ao governo de Madrid, que procura bloquear um referendo pela independência da Catalunha.  Merkel sublinhou que existe diferença entre conceder autonomia a regiões e permitir que um país seja dividido. Claro que existe uma acentuada diferença – mas a questão central é – será a Espanha um país? E a Alemanha, será um país?

Continua llegint

Líder catalão: independência é “questão europeia difícil de evitar”

Mais uma notícia publicada na internet, em português, sobre as declarações do Presidente do governo da Catalunha, Artur Mas, durante encontro com jornalistas estrangeiros no início desta semana.

 

NOTÍCIAS AO MINUTO

Publicado originalmente em 16/06/14

 

O presidente do governo regional da Catalunha defende que a independência da Catalunha “é uma questão europeia que será difícil de evitar”, apesar de a reação automática da União Europeia ser a de tentar evitá-la.

“A nossa ‘teoria’, e esta teoria é válida quer para a Catalunha quer para a Escócia, é a de que se houver um referendo e a independência vencer, a Europa terá de encontrar maneira de aceitar esta nova realidade política, terá de usar de bom senso e o bom senso diz que o projeto europeu é um projeto assente no alargamento da União”, disse Artur Mas durante um encontro com jornalistas estrangeiros em Barcelona.

Continua llegint

PROCESSO NA ESCÓCIA É REFERÊNCIA PARA CATALUNHA

Como lembra hoje o jornal eletrônico VilaWeb, faltam menos de 100 dias para que  a Escócia realize um referendo, marcado para 18 de setembro de 2014, em que seus cidadãos decidirão sobre sua possível independência do Reino Unido. Pouco depois, em 9 de novembro, será a vez dos catalães expressarem nas urnas sua vontade de permanecer ou não no Reino da Espanha.
Catalunha e Escócia são duas nações históricas europeias que despontaram nesta segunda década do século XXI em sua lutas democráticas em prol da respectiva independência. Uma e outra compartilham características similares, como uma extensão geográfica modesta (Escócia, com 79 mil km2 e a Catalunha, com 32 mil km2) e uma população parecida (5,1 milhões de escoceses contra 7,5 milhões de catalães).
Contudo, na Catalunha tem um peso preponderante (mas não exclusivo) no debate sobre a independência a questão da língua (o catalão) frente ao espanhol e o reconhecimento de sua soberania como nação. Enquanto que na Escócia o inglês é tão hegemônico que nem se discute essa questão. Lá, a controversia gira em torna da pertinência de poder tomar decisões políticas e econômicas sem a anuência de Londres e levando em conta, em primeiro lugar, os interesses do país.

SOBERANISMO CATALÃO COBRA MAIS FORÇA APÓS ELEIÇÕES EUROPEIAS

Publicado originalmente no Diário Liberdade em 26 de maio de 2014. Baseado em matéria de Vilaweb.

Soberanismo catalão cobra mais força após eleições europeias

Países Catalães – Diário Liberdade – Se bem um dos grandes grupos pró-independência na Catalunha – as CUP – tinha chamado à abstenção, algum eleitorado independentista foi mobilizado percebendo esta votação como uma demonstração de força perante o referendo pela independência a se celebrar em Novembro.

Ao contrário que em muitos outros territórios, a participação na Catalunha subiu 8.4 pontos, mas situando-se num ainda escasso 47%. Contudo, e tendo em conta que uma parte do eleitorado pró-independência decidiu secundar a chamada à abstenção, as forças soberanistas acumulam o 55.81% dos votos emitidos.

Isto significa que os partidos a favor de celebrar o referendo de independência e votar “sim” nele, tiram um 25% mais que as forças unionistas , ou a favor da continuidade no Estado Espanhol (mero 30%, e com alguma divisão interna).

Além de mais, uma nova força política aparecida nestas eleições, “Podem“, tem declarado em campanha a aceitação da independência da Catalunha se o povo catalão assim o decidir. Desta forma, o seu 4.66% dos votos poderia ser somado ao grupo soberanista, superando o 60%.

Continua llegint

FORÇAS PRÓ-INDEPENDÊNCIA DA CATALUNHA CONQUISTAM MAIORIA ABSOLUTA

 Publicado originalmente em 25/05/2014

As forças pró-independência da Catalunha obtiveram 55,82% dos votos escrutinados nas eleições europeias de hoje, mais 18 pontos que no voto de 2009, com os dois maiores partidos espanhóis a serem fortemente penalizados.