Arxiu d'etiquetes: Referendo

Catalunha aprova lei para desenvolver a sua autonomia em relação a Espanha

LaInfo.es (pt)

Publicado originalmente em 16/07/14 (traduzido da versão inglesa e corrigido pelo Blog Da Catalunha para o Mundo).

A região da Catalunha, no nordeste da Espanha, iniciou um processo para respaldar o referendo sobre a soberania, com a aprovação de uma lei de consultas que o governo catalão de Artur Mas tem tramitado nesta quarta-feira.

Os nacionalistas catalães tem previsto para 9 de novembro consultar os cidadãos para decidir se a Catalunha pode ser um estado fora de Espanha.

O projeto apresentado na Catalunha é a “Lei de consultas e participação cidadã“, uma norma que se aplicaria apenas a questões sobre as quais o governo da Catalunha tem jurisdição, em conformidade com o seu “estatuto” que desenvolve a autonomia desta região da Espanha.

A lei foi aprovada na Comissão de Assuntos Institucionais do Parlamento catalão e depois de passar pelo Conselho de Garantias estatutárias, será votada no final de setembro.

O Governo do PP (centro-direita) e o primeiro partido da oposição, o PSOE (socialista) rejeitam este ponto de vista, alegando que é ilegal, porque a Constituição não o prevê.

As discussões até agora têm mantido os políticos ocupados, mas entraram no debate profissionais acadêmicos através de manifestos e plataformas, onde transitam personalidades como o Prêmio Nobel Mario Vargas Llosa e o juiz Baltasar Garzón. Ante a Câmara dos Deputados foi apresentado o manifestoLivres e Iguais” contra a opção de que os catalães possam se separar da Espanha e em defesa da Constituição, assinado Vargas Llosa,entre outros escritores e historiadores.

 

Rajoy e mas vão discutir “problema” da Catalunha

Diário de Notícias

Publicado originalmente em 12/07/14

 O primeiro-ministro espanhol e o presidente da região da Catalunha chegaram a acordo numa coisa: na necessidade de se reunirem para discutir a intenção de Artur Mas de realizar um referendo sobre a independência. Mas Rajoy já avisou que todos sabem o que pensa do assunto.

Foi na sequência de uma carta de Artur Mas para Mariano Rajoy, enviada por mail, que surgiu este encontro. O primeiro-ministro espanhol respondeu ontem de manhã ao presidente da região da Catalunha com um telefonema, em que ambos acertaram a necessidade de dialogar sobre aquilo que os separa: a intenção de Mas de realizar um referendo acerca da independência da região.

Já hoje, Mariano Rajoy admitiu que esta questão é um problema.

Presidente catalão admitiu não haver maioria a favor da independência?

Será mesmo que o presidente da Catalunha admitiu não haver maioria a favor da independência? Ou foi uma pequena escorregada na linguagem numa entrevista ao vivo e em inglês com a experiente jornalista da CNN Christiane Amanpour? A matéria, produzida em português por Pedro Cordeiro e divulgada pelo site EXPRESSO, parece ter sido baseada em informações do espanholista e conservador jornal ABC. Tal conjectura fundamenta-se na leitura de outra breve matéria da PINN (Portuguese Independent News Network), publicada também ontem, com uma manchete muito semelhante e cuja fonte é declaradamente o ABC:

ARTUR MAS ADMITE QUE MENOS DE METADE DOS CATALÃES APOIA A INDEPENDÊNCIA

Para diuscutir com maior embasamento a realidade demoscópica sobre a intenção de voto dos catalães, num eventual referendo pela independência da Catalunha, redireciona-se o leitor para um post anterior deste blog, que discutia precisamente as diversas interpretações acerca desses sempre polêmicos números.

Claro está que quando se afirma “não haver maioria a favor da independência” ou que “menos da metade dos catalães apoia a independência”, nessa conta podem estar incluídos os que não necessariamente são contra a independência. Isto é, os que não sabem ou não querem responder (indecisos) e os que não irão votar num eventual referendo: porque não podem ou não querem votar. Então, se considerarmos apenas os votos válidos, certamente sim que existe uma maioria democrática disposta a votar a favor da independência.

 

EXPRESSO

Publicado originalmente em 23/06/14

PEDRO CORDEIRO

PRESIDENTE CATALÃO ADMITE NÃO HAVER MAIORIA A FAVOR DA INDEPENDÊNCIA

Em entrevista à CNN, Artur Mas diz que só o referendo permite saber ao certo quantos catalães querem deixar de ser espanhóis.

O presidente do Governo catalão admite que não há na região uma maioria de cidadãos a favor da independência. Em entrevista recente à CNN, Artur Mas respondeu em inglês à veterana jornalista Christiane Amanpour. Quando esta lhe disse ter lido que nem metade dos catalães querem deixar de ser espanhóis, respondeu com um “isso é verdade…”. O líder nacionalista insistiu, porém, que só fazendo um referendo se saberá quantos estão de um lado e de outro da barricada. Além disso, disse, há uma “maioria ampla” a favor do referendo.

Continua llegint

“EL CANT DELS OCELLS” AO ESTILO FADO EMBALA CASTELOS HUMANOS EM LISBOA PELA LIBERDADE DA CATALUNHA

Diante do Panteão Nacional, no emblemático bairro lisboeta de Alfama, aconteceu sábado, pela primeira vez na história, a fusão de dois Patrimônios imateriais da Humanidade: o fado português e os castelos humanos (castellers) da Catalunha.

Quem presenciou o evento pôde apreciar uma interpretação ao mais puro estilo de fado, da canção tradicional catalã “El cant dels ocells”, embalando as construções humanas que levantavam ao vento as bandeiras de Portugal, da Catalunha e da agremiação castellera do bairro barcelonino de Sants. Veja os vídeos:

ENTREVISTA DA AGÊNCIA REUTERS A ARTUR MAS PUBLICADA NO ESTADÃO

Publicado originalmente em 04 de junho 2014

 
LÍDER CATALÃO DIZ QUE PLANO DE REFERENDO SOBRE INDEPENDÊNCIA ESTÁ MANTIDOPor Inmaculada Sanz e Fiona Ortiz – REUTERS BRASIL

BARCELONA, (Reuters) – O presidente da Catalunha, Artur Mas, disse nesta quarta-feira que os habitantes da região têm o direito de decidir sua separação da Espanha e deixou claro que seguirá adiante com os planos para promover um referendo em 9 de novembro, o que o governo central se comprometeu a impedir.

LÍDER CATALÃO DIZ QUE MUDA O REI DE ESPANHA MAS NÃO O PROCESSO POLÍTICO NA CATALUNHA

 Publicado originalmente em 02/06/2014

O presidente do Governo regional da Catalunha considerou hoje que apesar de haver uma mudança do rei de Espanha “não haverá mudanças no processo político catalão” que, considerou, deverá levar a “um voto pacífico” a 9 de novembro.

“Haverá mudança de rei mas não no processo político que o povo da Catalunha está a seguir para que a 9 de novembro possamos decidir o nosso futuro coletivo”, afirmou Artur Mas, numa referência ao referendo sobre a independência catalã, marcado contra a oposição do governo de Madrid.

CATALUNHA EM BUSCA DA INDEPENDÊNCIA (3ª parte)

Internacional
Políticos montam estratégia

Taíza Brito

Publicada originalmente no Jornal do Commercio (Brasil) em 25/05/2014

Veja aqui o link (pago) ou baixe o arquivo pdf da página impressa no anexo a este post (Matéria JC completa).

Ancorado na manifestação popular de 11 de setembro de 2012, o presidente Artur Mas chamou os catalães às urnas. O Parlamento catalão eleito em janeiro de 2013 aprovou, com 2/3 dos deputados, uma declaração de soberania que define o povo da Catalunha como “sujeito jurídico e político soberano”. A declaração foi lavrada para abonar o caminho do chamado “direito a decidir”, com o objetivo final de organizar a consulta para que os catalães digam se querem se separar da Espanha.


Esta declaração de soberania foi considerada sem efeitos jurídicos pelo Tribunal Constitucional, após recurso do governo de Madri. Mas o governo da Catalunha não tirou o documento do seu site na internet, em mais um gesto desafiador. Dois meses depois, com vistas a dar legitimidade ao processo, o Parlamento catalão aprovou, de novo por maioria, uma resolução na qual se obriga a “iniciar um diálogo” com o Estado para realizar a consulta popular.

CATALUNHA EM BUSCA DA INDEPENDÊNCIA (1ª parte)

No domingo passado (25/05) foi publicado no Jornal de Commercio (JC) matéria sobre o processo histórico que a Catalunha está vivenciando como sujeito político em busca da independência. O JC é um jornal impresso de alta circulação do Recife (Brasil) e a matéria, assinada pela jornalista Taíza Brito, ocupou a contracapa inteira, colorida, do caderno Internacional. O tema entrou na pauta da mídia brasileira  a menos de um mês do início do mundial de futebol.


Veja aqui o link (pago) ou baixe o arquivo pdf da página impressa no anexo a este post (Matéria JC completa). Publicaremos no blog o texto dividido em três partes. Como segue:

   Continua llegint

NOTÍCIAS LUSAS SOBRE A CATALUNHA UM DIA ANTES DA FINAL DE LISBOA

Um dia antes da Final de futebol da Champions League, que ocorre hoje em Lisboa, enfrentando os dois principais times da capital da Espanha, apareceram duas notícias, em rotativos digitais portugueses, sobre o processo de independência da Catalunha. O motivo? A entidade OMNIUM, que trabalha em prol da língua e cultura catalãs, está prestes a realizar ação coordenada consistente em erguer castelos humanos em 7 capitais europeias, incluindo Lisboa, para chamar a atenção da opinião pública internacional sobre a intenção dos catalães de realizar referendo para decidir seu fututo político, mesmo com a posição contrária da Espanha.

As duas notícias recolheram declarações à Lusa de Muriel Casals, presidenta de OMNIUM sobre os detalhes da ação, prevista para 08 de junho, e sobre os motivos que levam a Catalunha a não querer permanecer na Espanha. A primeira notícia já a divulgamos no post anterior. Segue agora a segunda, que apareceu no site da tvi24

Continua llegint

POR UM PAÍS DE CORPO INTEIRO

O Jornal i de Portugal (ionline.pt), publicou, em 23 de maio, entrevista com Muriel Casals, presidenta de OMNIUM, associação cívica que trabalha em prol da língua e cultura catalãs, sobre os motivos pelos quais aquela “nacionalidade histórica” busca a independência da Espanha. OMNIUM está organizando, para 8 de junho, ação coordenada em sete capitais europeias, dentre elas, Lisboa, visando a sensibilizar a União Europeia e o mundo sobre o desejo do povo da Catalunha de decidir seu futuro político em um referendo no próximo 9 de novembro.

Continua llegint