Artur Mas enaltece apoio de 95% das províncias catalãs ao referendo pela independência

RTP Notícias

Publicado originalmente em 04/10/14

O presidente catalão, Artur Mas, enalteceu hoje o apoio de mais de 95% das províncias da Catalunha ao referendo de 09 de novembro e lançou uma mensagem ao Governo espanhol.

“Embora tentem calar a voz do povo da Catalunha, não vão consegui-lo”, afirmou o responsável perante mais de 800 presidentes dos municípios, que aprovaram a moção em defesa do direito a decidir, citado pela agência Efe.

De um total de 947 municípios, 920 aprovaram a moção em defesa do direito a decidir [sobre a independência da região], num encontro promovido pela Associação de Municípios para a Independência (AMI) e a Associação Catalã de Municípios (ACM).

Continua llegint

Catalães vão manter convocatória de referendo

JORNAL DE NOTÍCIAS

Publicado originalmente em 03/10/14

 O presidente catalão Artur Mas e os partidos que apoiam a consulta independentista acordaram esta sexta-feira manter a convocatória para 9 de novembro e pedir ao Tribunal Constitucional que levante “com celeridade” a suspensão.

Francesc Homs, porta-voz do Governo regional, explicou que essa foi uma das principais decisões da reunião de cerca de três horas e meia entre o Governo e as forças pró-consulta, que continuará ainda esta sexta-feira à tarde.

Continua llegint

REUTERS BRASIL: Catalunha começa a organizar referendo sobre separação, apesar de veto de tribunal

REUTERS BRASIL – Publicado originalmente em 03/10/14

(Reportagem de Emma Pinedo)

MADRI (Reuters) – O líder da Catalunha criou uma comissão para supervisionar um referendo sobre a independência no mês que vem, desafiando o governo central da Espanha, que recorreu à Justiça para impedir a votação.

O presidente da rica região no nordeste do país, Artur Mas, nomeou na noite de quinta-feira uma comissão de sete pessoas para supervisionar a votação, informou o governo local em um comunicado.

Essa foi a primeira medida oficial de preparação para a votação sobre a separação de Espanha, marcada para 9 de novembro, depois que o Tribunal Constitucional concordou na segunda-feira em verificar a legalidade do referendo – uma decisão que efetivamente suspendeu a votação.

O gabinete do primeiro-ministro Mariano Rajoy se recusou a comentar.

Continua llegint

GARZÓN:”O referendo na Catalunha vai acabar por acontecer”

ENTREVISTA A BALTAZAR GARZÓN

EXPRESSO SAPO

Publicado originalmente em 02/10/14

Carolina Reis (texto) e José Caria (foto)

O ex-juiz está hoje em Lisboa para apresentar o novo livro de José Saramago, “Alabardas, Alabardas, Espingardas, Espingardas”.  O Expresso falou com ele sobre os seus novos projetos, as causas de sempre e a situação na justiça.

Apesar de estar suspenso da magistratura, ainda é chamado de super-juiz. O homem que ficou conhecido por ordenar um mandato de captura internacional para o antigo ditador chileno Agusto Pinochet, entretanto afastado da magistratura por 11 anos por ter ordenado escutas às conversas entre dirigentes de uma rede de corrupção, é hoje um advogado dedicado à promoção dos Direitos Humanos. Baltasar Garzón levou a sua fundação para a América do Sul e diz que ainda não desistiu de combater a promoção da jurisdição universal, a capacidade de julgar crimes independentemente do local onde foram cometidos e da nacionalidade dos autores.

Para continuar a ler o artigo, clique  AQUI 

FOLHA DE SÃO PAULO: Parlamento catalão dá passo adiante para realização de plebiscito

FOLHA DE SÃO PAULO

Parlamento catalão dá passo adiante para realização de plebiscito

CMAIS

Parlamento catalão dá novo passo para consulta sobre independência

BOL.UOL

Catalunha cria comissão eleitoral para plebiscito

DIÁRIO DE NOTÍCIAS

Na Catalunha também há protestos com chapéus de chuva

IONLINE

Milhares de volta às ruas para contestar suspensão do referendo

JOVEMPAM.UOL

Governo catalão rejeita desobediência civil e insiste em referendo

Artur Mas prepara alegações para levar a tribunal

Diário de Notícias

Publicado originalmente em 30/09/14

A preparação das alegações em defesa da consulta independentista da Catalunha, para apresentar no Tribunal Constitucional espanhol, deverão dominar a agenda do debate da reunião semanal do Governo catalão, que decorre hoje.

Fontes do executivo catalão explicam que o objetivo é defender, perante o TC, que se deve levantar a suspensão cautelar da consulta, que ocorreu com a decisão do tribunal de admitir a trâmite dois recursos apresentados pelo Governo espanhol.

As autoridades em Barcelona querem ainda perceber que margens têm para continuar os preparativos para a consulta de 09 de novembro, incluindo a campanha que já tinha arrancado na imprensa regional.

Continua llegint

Catalães vão às ruas gritar pelo sim à independência

Nem a chuva impediu os manifestantes de Barcelona, que lotaram com seus guardas-chuvas a Praça de Sant Jaume, nesta terça-feira (30/09), atendendo a convocação da campanha ‘Ara és l’hora’ (Agora é a Hora)

Catalães de todas as idades atenderam ao chamado da campanha ‘Ara és l’hora’ – Agora é a hora –, promovida pelas organizações Òmnium Cultural e Assembléia Nacional Catalã (ANC), para se posicionar em favor do sim à independência. Às 19h no horário local (14h no Brasil), praças e ruas de várias cidades da Catalunha ficaram lotadas, em resposta a decisão do Tribunal Constitucional espanhol, que suspendeu cautelarmente a Lei de Consultas e o decreto de convocatória do referendo de 9 de novembro (9-N).
Em Barcelona, nem a chuva impediu os manifestantes de lotarem a Praça Sant Jaume e as ruas adjacentes. Na mobilização na capital catalã se pronunciaram a presidente da ANC, Carme Forcadell, e a presidente da Òmnium, Muriel Casals. Debaixo de chuva, Forcadell convocou os cidadãos a se manterem firmes e unidos para conseguir a independência.
Milhares de pessoas também se concentraram nas praças centenárias de municípios de toda Catalunha. Abaixo fotos das cidades de Girona e Vic.

st jaume12

Carrer Ferran, na entrada da Praça Sant Jaume de Barcelona

Praça da cidade de Vic

Praça da cidade de Vic

 

 

Campanha espalha urnas dentro de gaiolas em repúdio à suspensão da lei de consultas nha

gaiola2

Tradução de matéria publicada em Vilaweb, em 30/09/2014, mais informações da ANC Brasil

Um dia após a suspensão pelo Tribunal Constitucional da Espanha da lei e do decreto de convocação para o referendo de 9 de novembro, que prevê a votação sobre a independência da Catalunha, um grupo de cidadãos criou a campanha #Mutsialagàbia, para chamar a atenção acerca da negativa do governo da Espanha. Urnas foram colocadas dentro de gaiolas e espalhadas em locais simbólicos das cidades da Catalunha. 

A campanha pede que os cidadãos repitam o gesto e pendurem gaiolas com votos ou urnas dentro, tirem fotos e divulguem na internet através das redes sociais, especialmente via Twitter. Em um comunicado (pdf), o grupo explica que “proibir a consulta é seqüestrar e aprisionar as liberdades fundamentais dos cidadãos”. E diz que a medida é injustificável. Continua llegint

Parlamento catalão rejeita suspensão da lei de consultas sobre independência

2014-750845830-2014-750659940-20140911132203615afp.jpg_20140911.jpg_20140912

Autoridades pedirão levantamento do veto e retirada de recurso apresentado por Madri

POR O GLOBO / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS, EM 30/09/2014

BARCELONA — O Parlamento catalão afirmou nesta terça-feira, 30 de setembro, que pedirá ao Tribunal Constitucional espanhol o levantamento da suspensão do decreto que prevê a convocação de uma consulta sobre a independência da região e a retirada do recurso apresentado pelo governo central de Madri. Após a decisão do tribunal na segunda-feira, o governo regional decidiu retirar a campanha institucional sobre o referendo, mas de forma cautelar e temporária.

— Vamos apresentar de forma imediata um incidente (questão acessória ao assunto principal), reclamando o fim imediato da suspensão da lei de consultas — disse a presidente do Parlamento regional, Nuria de Gispert. — A suspensão provoca prejuízos e, como afeta o interesse geral, o Parlamento da Catalunha pedirá o fim imediato da suspensão. A Câmara trabalha nas alegações para defender a constitucionalidade da norma. Continua llegint

Governo espanhol recorre à Justiça contra o referendo da Catalunha

Cat1

O referendo, previsto para o dia 9 de novembro, foi convocado por meio de decreto do presidente regional catalão

Publicado em 29/09/2014, na página do Jornal do Commercio, Recife, com informações da Agência Brasil 

O governo espanhol recorreu na segunda-feira (29) ao Tribunal Constitucional do país na tentativa de impugnar a consulta sobre a independência da Catalunha, região a nordeste da Espanha. O referendo, previsto para o dia 9 de novembro, foi convocado por meio de decreto do presidente regional catalão, Artur Mas, assinado no sábado (27). Para o governo espanhol é inconstitucional também a lei aprovada pelo Parlamento da Catalunha que dá ao presidente regional o direito de convocar a votação.

O decreto de Artur Mas diz que o objetivo da consulta é “conhecer a opinião popular sobre o futuro político da Catalunha”. Em discurso, logo após assinar o documento, o presidente regional disse que “a Catalunha quer falar, quer ser escutada e quer votar”. Continua llegint

Líderes catalães garantem que decisão do Constitucional não parará processo

NOTÍCIAS AO MINUTO

Publicado originalmente em 29/09/14

 Líderes catalães insistiram hoje que os recursos do Governo espanhol contra a consulta soberanista junto do Tribunal Constitucional não vão parar o processo e terão “consequências maiúsculas”.

Os comentários surgem no dia em que o Governo espanhol se reúne, de forma extraordinária, para aprovar os recursos de inconstitucionalidade contra a consulta independentista catalã que vai levar ao Tribunal Constitucional.

Francesc Homs, conselheiro da presidência e porta-voz do Governo regional catalão afirmou hoje que o Governo comete “um erro de consequências maiúsculas” com a apresentação dos recursos que “não matarão” mas sim reforçarão o processo soberanista.

Continua llegint

Autarquias catalãs aprovam realização da consulta soberanista de 9 de novembro

Cerca de 88% das autarquias catalãs já formalizou em plenários locais o seu apoio à realização da consulta soberanista de 9 de novembro.

OBSERVADOR

Publicado originalmente em 25/09/14

Cerca de 88% das autarquias catalãs, que equivalem a 80% da população da região autónoma, já formalizou em plenários locais o seu apoio à realização da consulta soberanista de 9 de novembro.

Em concreto, o apoio à consulta já foi formalizado em 828 dos 946 municípios da Catalunha, segundo dados atualizados facultados à Lusa por porta-vozes da Associação de Municípios pela Independência (AMI) – que abrange 698 autarquias – e da Associação Catalã de Municípios (ACM) – 915 autarquias.

Continua llegint

Catalunha realizará consulta popular por independência da Espanha…

… O governo central, com base na Constituição, diz que vai barrar o plebiscito

Por 106 votos a 28, os parlamentares apoiaram a convocação de uma consulta marcada para o dia 9 de novembro. Multidão comemorou a decisão nas ruas

COLUNA DO RICARDO SETTI (seção Vasto Mundo)

fundo-ricardo-setti

Publicado originalmente em 21/09/14

De VEJA.com

Depois da decisão da Escócia de dizer não à independência do Reino Unido, o movimento separatista da Catalunha deve ser o próximo a tentar a formação de um novo Estado no continente europeu. O Parlamento da Catalunha aprovou nesta sexta-feira uma lei que permitirá ao presidente da região, Artur Mas, convocar uma consulta popular sobre a emancipação, prevista para ocorrer no dia 9 de novembro. A decisão teve 106 votos a favor e apenas 28 contra.

O jornal El País relatou que uma multidão acompanhou a votação desta sexta-feira do lado de fora do Parlamento, com gritos de apoio à consulta de 9 de novembro. Em sua chegada ao local, o presidente Mas foi aclamado pelos manifestantes, assim como outros políticos favoráveis à independência da Catalunha.

O presidente regional apoiou a campanha do “sim” na Escócia e ressaltou que os catalães querem apenas ter a mesma chance que os escoceses tiveram de votar. Contudo, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, tem dito repetidamente que vai bloquear a votação, com base na Constituição espanhola.

Continua llegint

Os povos que decidem e querem decidir

Azeredo Lopes

Jornal de Notícias (Opinião)

Publicado originalmente em 21/09/14

Disse-se há uns anos que o direito de autodeterminação dos povos tinha morrido. Pensado para enquadrar do ponto de vista jurídico as descolonizações, teria cumprido a sua função no dia em que a última colónia ascendeu à independência. Porém, parafraseando Mark Twain, as notícias sobre a morte do direito dos povos foram francamente exageradas, e só foi necessário esperar pelo fim da Guerra Fria. De repente, muitos dos que tinham esperado décadas pela sua vez levantaram a voz e muitos deles pegaram em armas. A Jugoslávia desapareceu, retalhada por sucessivas guerras de secessão. Os Estados do Báltico recuperaram a liberdade que tinham perdido décadas antes. E até noutros continentes a ameaça da secessão, ou a sua concretização, têm sido um processo em contínuo (olhe-se para a Eritreia, o Sudão do Sul ou a Somalilândia).

Azeredo Lopes

Continua llegint

BBC BRASIL: Catalunha avança para plebiscito, mesmo com “Não” escocês

Liana Aguiar

De Barcelona para a BBC Brasil

No mesmo dia em que os escoceses rejeitaram em um plebiscito a possibilidade de se tornarem independentes do Reino Unido, o Parlamento da Catalunha (região no nordeste da Espanha) aprovou nesta sexta-feira uma lei que permitirá ao governo local convocar uma votação semelhante à revelia de Madri.

A lei, defendida pelo líder do governo catalão, Artur Mas, foi aprovada por 106 votos a favor e 28 contra. A expectativa é de que o plebiscito de independência seja realizado em novembro deste ano.

O governo espanhol, no entanto, considera a consulta ilegal e afirmou que vai recorrer da decisão ao Tribunal Constitucional da Espanha (equivalente ao STF no Brasil).

Artur Mas convocou uma entrevista coletiva especificamente para avaliar o processo escocês. Ele parabenizou “o povo britânico por essa grande lição de democracia que deu ao mundo”.

“Obrigado, Escócia, por ensinar que votar é o único caminho para resolver democraticamente as aspirações de um povo”, disse.

Entretando, ele advertiu que o resultado da votação escocesa não é um revés para o processo catalão de independência: “Se alguém tinha a ilusão de que o ‘Não’ na Escócia poderia fazer sombra ao processo catalão, estava enganado.”

Continua llegint