Catalães vão manter convocatória de referendo

JORNAL DE NOTÍCIAS

Publicado originalmente em 03/10/14

 O presidente catalão Artur Mas e os partidos que apoiam a consulta independentista acordaram esta sexta-feira manter a convocatória para 9 de novembro e pedir ao Tribunal Constitucional que levante “com celeridade” a suspensão.

Francesc Homs, porta-voz do Governo regional, explicou que essa foi uma das principais decisões da reunião de cerca de três horas e meia entre o Governo e as forças pró-consulta, que continuará ainda esta sexta-feira à tarde.

Participam no encontro representantes da Convergência e União (CiU), Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), Iniciativa Catalunha Verdes (ICV) e Compromis (CUP).

Os participantes, que podem voltar a encontrar-se durante o fim-de-semana decidiram “manter a convocatória com a vontade de que a cidadania possa participar e exercer o direito a voto no dia 9 de novembro”.

Recordou que foi já pedido ao Tribunal Constitucional para que levante “com celeridade” a suspensão da lei de consultas e o decreto.

Vão ainda realizar uma “análise exaustiva” para procurar que a consulta se realizar nas “melhores condições” democráticas.

Entretanto, em Madrid, a vice-presidente do Governo, Soraya Saénz de Santamaría, disse aos jornalistas que o Governo vai ao Tribunal Constitucional por considerar que o presidente catalão, Artur Mas, incumpriu a suspensão da consulta ao ter assinado o decreto de criação da junta eleitoral.

Depois da reunião do Conselho de Ministros Saénz de Santamaria explicou que o Governo quer assim paliar o recurso já apresentado ao TC para incluir este decreto, sem que seja necessário novo procedimento do Conselho de Ministros.

“Os cidadãos têm direito a saber que as resoluções dos tribunais se cumprem e se respeitam”, afirmou a vice-presidente.

“Ninguém pode desenhar a democracia à sua medida porque está desenhada à medida dos direitos dos espanhóis”, disse ainda.