Catalunha insiste no referendo que Madrid diz ser ilegal

rajoy e mas (1)

Diário de Notícias

Publicado originalmente em 29/07/14 pela Agência Lusa, por Susana Salvador

O presidente do governo regional da Catalunha, Artur Mas, reafirmou hoje a determinação em realizar um referendo para a independência da Catalunha no próximo 09 de novembro, mas o primeiro-ministro, Mariano Rajoy, considerou a iniciativa como “ilegal”.

Os dois políticos mantiveram hoje um encontro de mais de duas horas, o primeiro em 11 meses, durante o qual foram abordados 23 temas, incluindo a questão das aspirações independentistas da Catalunha.

“Eu disse a ele que estamos absolutamente determinados, como eu disse a ele há um ano, em realizar a consulta”, disse Artur Mas no final à imprensa, sublinhando que existe um “clima de diálogo aberto”, apesar da falta de acordo sobre as negociações sobre a soberania daquela região da Espanha.

No entanto, o primeiro-ministro espanhol afirmou que a consulta popular visando a soberania da Catalunha “não pode ser realizada”, mas afirmou aos jornalistas que demonstrou a Artur Mas a sua disponibilidade para continuar a trabalhar de forma “franca e leal” em tudo o que beneficia os cidadãos da Catalunha a partir do reconhecimento da sua contribuição para o progresso geral da Espanha.

O presidente do governo regional da Catalunha assegurou que, embora seja “difícil”, vai continuar a obter um acordo de concertação com o Estado, porque há uma “base legal” sobre a questão do referendo.

Artur Mas lamentou o fato de as autoridades espanholas não terem “nenhuma proposta alternativa (às aspirações independentistas da Catalunha) além de dizer que é ilegal”.

Todavia, o líder catalão assinalou que um eventual acordo será feito sempre “dentro de um quadro jurídico”.

Sondagens recentes feitas sobre a matéria indicam que 80 por cento dos catalães querem ter direito a votar sobre o seu futuro político, e 52 por cento defendem a independência, enquanto 24 por cento são contra e 15,9 por cento se declaram indecisos.