Rajoy e mas vão discutir “problema” da Catalunha

Diário de Notícias

Publicado originalmente em 12/07/14

 O primeiro-ministro espanhol e o presidente da região da Catalunha chegaram a acordo numa coisa: na necessidade de se reunirem para discutir a intenção de Artur Mas de realizar um referendo sobre a independência. Mas Rajoy já avisou que todos sabem o que pensa do assunto.

Foi na sequência de uma carta de Artur Mas para Mariano Rajoy, enviada por mail, que surgiu este encontro. O primeiro-ministro espanhol respondeu ontem de manhã ao presidente da região da Catalunha com um telefonema, em que ambos acertaram a necessidade de dialogar sobre aquilo que os separa: a intenção de Mas de realizar um referendo acerca da independência da região.

Já hoje, Mariano Rajoy admitiu que esta questão é um problema.

“Como toda a gente sabe, o senhor Mas quer uma reunião. Vou encontrar-me com o presidente da Generalitat”, começou, sem precisar a data dessa reunião. “Sei que há um problema e que é preciso acabar com ele”, afirmou. “Acho que é bom falar, mas também é bom e positivo lembrar a posição de cada um. A minha é conhecuda, e acho que se entende, incluindo por aqueles que não concordam com ela”, disse o chefe de governo de Espanha, que defende que a Catalunha não pode tomar uma decisão unilateral acerca da independência.

“Não podemos exigir ao presidente de um governo, seja ele qual for, que autorize um referendo contra a decisão do parlamento nacional, contra a decisão do tribunal constitucional, contra a lei, contra as suas próprias convicções, e contra aquilo que pensa a maioria dos espanhóis”, realçou.

“O futuro de Espanha não o podemos, eu e o senhor Mas, decidir numa conversa. (…) Apenas o conjunto dos espanhóis se pode pronunciar sobre o futuro de Espanha”, acrescentou Rajoy.

O presidente do governo regional da Catalunha admitiu, em meados de junho, a possibilidade de um acordo com Madrid sobre levar a votos o desejo catalão de independência, apesar de reconhecer a desconfiança na política regional em relação ao governo central espanhol.

“Pode acontecer que nos próximos meses venha a existir um acordo entre os socialistas e o Partido Popular para uma proposta específica sobre a Catalunha. A chamada terceira via. Não o ‘status quo’, não a independência, mas uma terceira via”, referiu, confessando-se cético quanto a ela.

Artur Mas pretende convocar para 09 de novembro uma “consulta popular” não vinculativa sobre a independência da Catalunha, com base numa lei regional a ser ainda aprovada, para contornar a rejeição pelo parlamento espanhol da realização de um referendo formal, previsto para a mesma data e que seria também não vinculativo, sobre o futuro político da Catalunha.